logo

"Cara feia" de Neymar ao ser substituído gera polêmica


Por Terra

Foto: David Ramos / Getty Images

O clima no Barcelona não é nada bom, e a goleada da equipe catalã sobre o Elche por 5 a 0, no último meio de semana, pela Copa do Rei, parecia ser ideal para amenizar a crise. Contudo, de acordo com a imprensa espanhola, este duelo criou mais um foco de conflito pelos lados de Camp Nou. Substituído após ter feito dois gols na partida, Neymar saiu de campo com "cara feia" e, depois, disse que não gosta de ser sacado de jogos. Isto, de acordo com o jornal AS, aumentou a instabilidade no vestiário azul-grená.

O atacante brasileiro abriu o placar para o Barcelona diante do Elche no primeiro tempo e ainda marcou outro belo gol de fora da área no segundo. Ele era, sem dúvidas, um dos melhores jogadores em campo. Mesmo assim, foi substituído por Luis Enrique aos 21min.

Neymar fez dois gols contra o Elche
Foto: David Ramos / Getty Images

Assim que a placa subiu e mostrou a todo o estádio que Pedro entraria em campo, Neymar seguiu a passos lentos e de cara fechada rumo à beira do gramado. Cumprimentou o companheiro e se dirigiu ao banco de reservas sem sequer olhar para o comandante. Antes de se sentar, deu um tímido aceno à torcida.

Instantes antes de ser sacado do jogo, Neymar estava discutindo com Damián, jogador adversário, por ter sofrido entrada dura fora do lance de jogo. Inicialmente, então, a seriedade do atacante ao sair da partida foi creditada a este fato. Depois dos 90 minutos, quando foi perguntado sobre a alteração, porém, o camisa 11 não fugiu.

“Não gosto de ser substituído. O que eu gosto é de jogar”, afirmou na saída do gramado. Apesar de ser natural um atleta querer permanecer em campo, tal declaração repercutiu negativamente, principalmente na imprensa de Madri.

Em 20 partidas disputadas com a camisa do Barcelona até aqui na temporada, Neymar só ficou nove delas em campo por 90 minutos. O craque brasileiro saiu do banco de reservas em quatro jogos e foi substituído em sete. No total, já marcou 16 gols (um a mais que na temporada passada) e ficou no gramado por 1420 minutos (uma média de 71 por compromisso).